Raúl Perez

Raúl Manuel Perez nasceu em Lovelhe (Minho) a 26 de Abril de 1944.

1972
Primeira exposição individual: expõe trinta imagens do seu Diário Onírico, na Galeria de São Mamede (Lisboa).

1973
Adere ao Grupo Phases, Paris.

1974
Participa, integrado no grupo Phases, numa exposição realizada no Museu Van Esene, (Bruxelas).

1975
Participa na exposição O Cadáver Esquisito, sua exaltação, seguido de pinturas colectivas, comemorativa dos 50º aniversário do movimento surrealista de Paris, realizada na Galeria Ottolini, (Lisboa).

1976
Participa, integrado no grupo Phases, na exposição surrealista internacional Marvelous Freedom – Vigilance of Desire, organizada pela revista surrealista norte-americana Arsenal, Galeria Black Swan, (Chicago).
Ilustração para a capa do romance de Julien Gracq “Le Chatêau d’Argol”, Eitora Meulenhoff, (Amsterdão).

1977
Participa, em Amesterdão, numa exposição organizada pela revista surrealista Brumes Blondes, a convite do seu editor, o poeta Laurens Van Krevel.
Participa na primeira exposição do grupo Phases realizada em Portugal: na Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol,(Estoril); no Museu Machado de Castro, (Coimbra); e na Sociedade Nacional de Belas Artes,(Lisboa).
Expõe pinturas e desenhos na Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol, (Estoril).

1978
Participa na exposição Imagination – Internationale Ausstelung Bildnerischer Poesia, realizada no meuseu de Bochum, (RFA).
Participa na exposição de homenagem ao poeta António Maria Lisboa, organizada por Cruzeiro Seixas, na Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol, (Estoril).

1979
Expõe 15 pinturas na Galeria Dois, (Porto); e na Galeria Tempo, (Lisboa).


1980

Ilustração para a capa da primeira edição holandesa de “O Banqueiro Anarquista”, de Fernando Pessoa, Editora Meulenhoff, (Amsterdão).
Participa na exposição Papeles Invertidos, realizada na Sala de Arte e Cultura, (Santa Cruz Tenerife – Ilhas Canárias).

1981
Expões pinturas e desenhos na Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol, (Estoril).
Participa na exposição icono-biográfica Três Poetas do Surrealismo: António Maria Lisboa, Pedro Oom e Mario Henrique Leiria, organizada por Mário Cesariny, na Biblioteca Nacional, (Lisboa).
Ilustração para a capa do romance de Julien Gracq “Les Rivages des Syrtes”, Editora Meulenhoff, (Amsterdão).

1982 /84 /85
Expõe pinturas na Galeria de São Mamede, (Lisboa).


1986
Participa na exposição O Fantástico na Arte Portuguesa Contemporânea, que se realizou no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, (Lisboa).
Participa na exposição do património de pintura e escultura da Caixa Geral de Depósitos, integrada nas comemorações do bicentenário do Ministério das Finanças.

1988
Expõe pinturas na Galeria de São Mamede, (Lisboa).


1991

Expões pinturas na Galeria Holly, (Lisboa).


1992
Expõe pinturas e desenhos na Galeria de Constância, (Contância).
Participa na exposição organizada pelo grupo surrealista de Madrid, Salamandra, no Estúdio Âncora, (Madrid).

1994
Expõe pinturas na Galeria Degrau, (Porto).
Participa na Primeira Exposição do Surrealismo ou Não, na Galeria de São Mamede, (Lisboa).

2003
Participa com Cruzeiro Seixas na exposição “As mãos são a Paisagem que nos olha” na Galeria São Mamede.